Em entrevista à Rádio T e ao Blog da Mareli Martins neste sábado (14), o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), criticou o projeto de abuso de autoridade é “frear e dificultar os trabalhos da Operação Lava Jato”. Para o senador, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) deveria ter vetado o projeto inteiro. (Ouça a entrevista no final do texto)

“Essa proposta cria uma insegurança enorme para policiais, juízes, procuradores e outros que atuam nessa área. A lei foi feita com trinta e sete itens e tudo que se fizesse seria motivo para punir juiz. É um péssimo projeto e que foi mal feito. É uma grande porcaria”, declarou o senador.

Oriovisto destacou que os deputados federais fizeram manobras e transformaram as dez medidas de combate à corrupção no projeto abuso de autoridade. E disse que não concorda com uma proposta que foi elaborada pelo ex-senador Roberto Requião. Segundo ele, o governo Bolsonaro, por meio de Sérgio Moro, deveria elaborar o projeto, caso fosse necessário.

“O projeto foi criado pelo ex-senador Roberto Requião, que não foi reeleito. O Paraná não quis mais o Requião, ele perdeu pra mim e para o Flávio Arns. E a proposta estava dormindo. Mas o Rodrigo Maia, que é um espertalhão, teve dois dias de fama pela aprovação da reforma da Previdência e, dessa forma, aproveitou para tirar da gaveta essa questão. Além disso, os deputados transformaram as dez medidas de combate à corrupção na lei de abuso de autoridade. Isso é um absurdo”, afirmou.

O senador criticou o presidente Jair Bolsonaro (PSL) por não ter vetado o a projeto todo. “Queria que o presidente tivesse coragem de vetar tudo, mas não fez isso pra fazer uma média com o Rodrigo Maia”.

Para ouvir a entrevista na íntegra, clique aqui.